KNSC11 vale a pena?

Recém lançado no mercado, o FII KNSC11 parte para a sua segunda emissão de cotas e tem chamado a atenção dos investidores que se perguntam se ele vale a pena. 

Primeiro, sabemos que os FII’s têm a difícil tarefa de se provar no tempo.

No entanto, a gestão do KNSC11 é realizada por uma equipe experiente, fato que é inegável.

Antes de respondermos se o KNSC11 vale a pena, vamos conversar sobre alguns pontos sobre o KNSC11:

  • Conhecendo o FII
  • Sua trajetória
  • A segunda emissão de cotas
DomuAPP: Domine os seus investimentos

KNSC11 – Conhecendo o FII

Desde já, para respondermos se o KNSC11 vale a pena de fato, devemos conhecer alguns detalhes do fundo.

Em primeiro lugar, trata-se de um fundo gerido pela Kinea, gestora mais do que experiente em nosso mercado, com outros fundos famosos como o KNCR11 e o KNRI11.

Atualmente, com um patrimônio próximo de R$250 MM. Seus cotistas aderiram ao objetivo mais livre deste fundo.

Nesse sentido, sabe-se que os fundos da Kinea tem um objetivo certo, com regulamento que delimita em quais ativos o fundo pode investir.

Contudo, não é esse o caso do KNSC11. Sua estratégia é mais ampla, permitindo com que os gestores possam aproveitar melhor os diversos ciclos do mercado, como podemos ver na imagem abaixo.

Fonte: Prospecto Definitivo da 1ª Emissão

Agora, o KNSC11 é um fundo voltado para o investidor comum que, inclusive, tem o direito de participar de novas emissões, ainda que não seja cliente Itaú.

Ao contrário do que percebemos nos demais fundos geridos pela Kinea, uma empresa do grupo Itaú. 

KNSC11 – Sua trajetória

Posteriormente, não podemos concluir se o KNSC11 vale a pena sem antes analisarmos a sua trajetória até aqui. 

Antes de tudo, precisamos conhecer alguns números sobre o fundo:

  • Taxa de administração e custódia: 1,28% ao ano sobre o patrimônio líquido;
  • Não há taxa de performance;
  • Patrimônio líquido do fundo: R$247 Milhões
  • Número de cotistas: 13.293

Dessa forma, o fundo segue sua trajetória, alocando o capital conforme estratégias apresentadas no prospecto da primeira emissão, estando hoje com a seguinte composição de carteira. 

Fonte: Relatório Gerencial

Com relação aos rendimentos, o famoso faz-me rir, o KNSC11 não decepcionou os seus cotistas, entregando um valor bem superior ao esperado. 

KNSC11 – A segunda emissão de cotas

Por fim, antes de concluirmos se o KNSC11 vale a pena, temos que analisar como o fundo pretende ficar após a segunda emissão de cotas. 

Agora, o fundo pretende obter no mercado a quantia próxima de R$300 Milhões, aumentando o seu patrimônio líquido. 

Logo, o atual cotista terá o direito de subscrever novas cotas pelo preço de R$98,24 e aumentar sua posição em aproximadamente 120%.

Por sua vez, no mercado secundário, as cotas estão sendo negociadas na faixa de R$103,00.

Lembro que, nesta emissão, o atual cotista terá o direito de preferência e também de sobras. 

Porém, sempre temos aquela pergunta básica: como fica o fundo após a emissão?

Conforme pipeline do prospecto definitivo da emissão, 11,7% do capital será investido em fundos imobiliários, 5% destinado para o caixa e o restante para CRI’s, com as taxas apresentadas abaixo.

Fonte: Prospecto Definitivo

Além disso, é evidente a melhora nas taxas dos atuais CRI’s do fundo, fazendo com que o retorno se mantenha, podendo até mesmo ter uma pequena melhora. 

Bem como, o KNSC11 apresentou uma expectativa de retorno e alocação para os próximos dez anos. 

Fonte: Prospecto Definitivo

KNSC11 – Conclusão

Por fim, chegamos à questão inicial de nosso artigo: KNSC11 vale a pena?

Como resultado do produto podemos levantar alguns pontos que merecem destaque:

  • Gestão experiente;
  • Estratégia diversificada;
  • Cotistas não correntistas do Banco Itaú podem participar de emissões.

No entanto, o fundo é muito novo, sendo necessário que a estratégia se prove com o tempo. 

Não sei vocês, mas eu vou acompanhar de perto os movimentos futuros.

4 comentários sobre “KNSC11 vale a pena?”

Deixe uma resposta